quinta-feira, 23 de março de 2017

Dramatização da peça: "O Principezinho"

O grupo de Teatro Fora d'Água, constituído por alunos do Agrupamento de Escolas de Peniche (EB1,2,3), orientados pela prof.ª Ana Fortunato, apresentaram a dramatização da obra O Principezinho, de Antoine Saint Exupéry, no auditório Américo Gonçalves, para o 1.º TAT.
Os alunos-atores estão de parabéns pela sua capacidade de dramatização, pelos adereços e cenário. Foi um prazer, no dia Mundial da Poesia, poder assistir a uma obra recheada de momentos poéticos! 



terça-feira, 21 de março de 2017

Dia Mundial da Poesia


Assinala-se esta terça-feira mais um Dia Mundial da Poesia. Leia  dois poemas inéditos de dois autores portugueses - Alexandre O'Neill e Mário-Henrique Leiria - que serão publicados em breve.

Requeixa de Taveirós

Como eu, mais nenhum outro
foi tão crédulo e tão louco
de se confiar em vós,
senhora branca e vermelha. 

Franzis-me essa sobrancelha
com altivez e altavoz.
Nem por isso possuís
razão por vós.

Nem de razão é o assunto,
mas de coração, talvez.
Aqui não entra bestunto,
por esta vez.

Dizeis-me, o que eu já sabia,
que é melhor sofrer poesia,
pensando em vós,
que alimentar veleidade
de possuir vossa carne
e arrastar-vos, empós,
ao tumulto dos sentidos
que entreteve e entretém
mortos e vivos.

E quem assim desassisa
a Deus pede que o assista.
Rogai por nós!

Alexandre O' Neill, 1985

Uma das Liberdades

Um pequeno coelho
a correr
com o desespero
entre as pernas

e a erva a crescer

um cão babando
a correr
com a obediência
entre as pernas

e a erva a passar

um caçador rindo
a correr
com a espingarda
entre a morte

e a erva a fugir

um tiro gritando
a parar
com o caçador
entre o estômago

e a erva a esperar

um pequeno coelho
a correr
com a liberdade
entre as pernas

e a erva a sorrir

Mário-Henrique Leiria, 20 de agosto de 1972

As rendas de bilros vão à escola


sexta-feira, 17 de março de 2017

quinta-feira, 16 de março de 2017

"consumer.TALKS: confias no mundo digital"


No dia 16 de março, os alunos do 10.º CE assistiram a um colóquio promovido pela coordenadora da DECO da zona de Santarém, Dr.ª Suzana Pestana que tinha como objetivos sensibilizar os alunos para uma participação ativa na Internet; compreender a importância da privacidade e segurança online e o cumprimento dos direitos de autor e de propriedade intelectual. 


A oradora focou o uso das plataformas digitais na internet; a pegada digital "uma vez na net, para sempre na net", o cyberbullyng, as compras online (vantagens e desvantagens) e, finalmente o respeito pelos direitos de autor. Os alunos tiveram ainda oportunidade de colocar questões sobre as temáticas abordadas.

Semana da leitura: "O prazer de ler"

A Semana da Leitura, subordinada ao tema “O prazer de ler”, iniciou-se no dia 3 de março com a atividade “Rostos da escrita: à conversa com o escritor Nuno Camarneiro”, o qual destacou o seu percurso de vida e o seu interesse pela leitura e pela curiosidade científica, referindo ”os livros são uma forma de viver o que não podemos viver na realidade”, salientando ainda que “ a escrita torna mais leve a angústia.” Escreveu também para o cinema, teatro, jogos para computadores e traduziu o livro da Ciência. Revelou que está a pensar seriamente em dedicar-se exclusivamente à escrita, apesar do seu profundo interesse pela engenharia física.

No dia 6, foi inaugurada a exposição “Não ao suicídio nuclear” da Associação Patrimonium, no âmbito da semana da comemoração dos seus vinte anos de existência. Nesta sessão, destacou-se o papel da imprensa na sensibilização e mobilização da população de Ferrel para a defesa do meio ambiente, numa das que foi considerada a primeira manifestação ecológica do país. Por outro lado, foi feita a ligação entre esse movimento de contestação e a literatura oral do concelho, tendo uma aluna lido A lenda das sereias, recolhida por Mariano Calado.

Ainda no dia 6 replicou-se a atividade “Rostos da escrita”, desta vez com o escritor Marco Neves, antigo aluno da escola, que confessou ter desenvolvido desde cedo a “pancada das línguas”. O prazer de ler, bem como o gosto pela palavra, utilizada de forma apropriada nos diversos contextos, foram alguns dos temas abordados. Este estudioso da língua mostra uma flexibilidade e abertura face aos diferentes registos linguísticos e assume o erro como uma forma de aprendizagem.

Nos dias 8, 9 e 10, realizou-se a “Leitura por Cordas” em parceria com a Eco-escolas, a EpS e a Escola Básica do Alemão. Esta atividade destinou-se a públicos diferenciados: pessoal docente e não docente, alunos do 11º CT1 e 50 alunos do ensino pré-escolar e do ensino básico. Foram lidos expressivamente vários textos narrativos alusivos às temáticas do meio ambiente e da saúde e foi lançado o desafio de representar numa ilustração os excertos ouvidos. A sessão foi animada pelo clube de música e pela declamação de textos poéticos, terminando num momento de lanche-convívio.
As atividades do dia 10 iniciaram-se às 10:05 com “O Mundo em Peniche”, que deu a voz aos nossos alunos imigrantes e às suas origens (Argélia, Moçambique, Brasil, Guiné-Bissau e Itália), prolongaram-se durante a tarde e terminaram às 20 horas com o Sarau Cultural.

Este destinou-se a toda a comunidade educativa e teve como finalidade mostrar os talentos dos alunos nas várias expressões artísticas, desde a declamação de poesia, à música e ao canto, passando pela dança. Esta atividade envolveu alunos de uma grande parte das turmas da escola, destacando-se o clube de leitura, o clube de música, o clube de rádio, o 1.º CPM e o 2.º SEC. Todos mostraram empenho e entusiasmo, incluindo os apresentadores que brilharam na arte de comunicar.

A equipa da BE/CRE agradece e dá os parabéns a todos aqueles que participaram em todas as atividades desenvolvidas ao longo da semana da leitura!
Veja aqui o vídeo síntese das atividadeshttps://drive.google.com/a/espeniche.pt/file/d/0B2SHNrDtDbBaREVnVElpNG13NmM/view?usp=sharing

quinta-feira, 2 de março de 2017

(clica na imagem)


A nossa seleção do mês de março 

Redescubra o prazer da leitura
Alimente a sua imaginação
Livros, ler e gostar, é só começar